pessoas-mesa-café-acompanhamento
BLOG

QUANTO TEMPO REALMENTE LEVAMOS PARA FORMAR UM NOVO HÁBITO?

(BASEADO NA CIÊNCIA)

o tempo em suas mãos

Já ouvi de muitos amigos, clientes, treinandos ou conhecidos, que o maior problema para iniciar um novo hábito é a disciplina.

Muitas pessoas até querem começar algo que consideram bom para si, como leitura diária, atividade física, se alimentar melhor, estudar, fazer um curso, se planejar melhor, ou desejam interromper um comportamento ruim, como parar de fumar, por exemplo. O fato é que iniciamos sempre animados com a nova decisão. Mas passados alguns dias, esse novo comportamento se torna mais uma decisão que não teve a constância necessária para se tornar um hábito.

Pense em quantas vezes tentou empreender algo novo, iniciar um projeto pessoal ou profissional, e apesar de animado, acabou desistindo mais tarde.

E por que um comportamento deveria se tornar um hábito?

Simplesmente porque nós, seres humanos, somos programados para economizar energia. Pode observar que estamos o tempo todo tentando fazer isso. Quando você chega em uma sala de espera lotada, logo procura uma parede para se encostar; quando uma cadeira desocupa, você vai logo se sentar, é natural.

Com os nossos neurônios acontece a mesma coisa. Gasta-se muita energia para implementar algo novo, dá trabalho criar uma trilha neural. Então ele vai procurar voltar aos velhos hábitos, pois aquilo que você sempre fez, já conhecido e, portanto, é mais fácil e gasta menos energia.

Sempre dou o exemplo de uma trilha na mata. Quando você vai por uma mata fechada, precisará abrir caminho, ou seja, vai precisar de ferramentas, foice, facão e de muita energia. E, claro, vai gastar mais tempo para fazer este caminho.

Já quando você for voltar por essa mata, após passar algumas tantas vezes por ali, perceberá que a terra está batida, não haverá galhos e mato alto, então o percurso se torna fácil.

Com a criação de um novo hábito funciona assim. No início, você vai gastar energia e tempo. Mas não se desanime com os desafios, ao contrário, prepare-se para eles!

Mas quanto tempo será necessário?

Você já deve ter ouvido falar na teoria dos 21 dias e também ter visto uma porção de programas assim: 21 dias de meditação, Dieta dos 21 dias, Programa de exercícios de 21 dias.

Essa teoria é baseada em uma percepção do doutor e cirurgião Maxwell Maltz na década de 1950. Ele percebeu um padrão de comportamento muito comum em seus pacientes.

Renomado cirurgião plástico e especialista em amputações, Maxwell percebeu que os pacientes levavam 21 dias para se acostumar com as reconstruções faciais e com as amputações.

Antes desse período, os pacientes amputados se comportavam como se tivessem um órgão fantasma. Após 21 dias, eles mudavam o comportamento e aceitavam a nova condição.

Essas experiências levaram o médico a pensar em seu próprio período de adaptação a mudanças e novos comportamentos, e ele percebeu que também levava 21 dias para formar um novo hábito.

Ele então escreveu sobre essas experiências em um livro e disse: “esses e muitos outros fenômenos comumente observados tendem a mostrar que são necessários no mínimo 21 dias para que uma imagem mental antiga se dissolva e uma nova seja instalada”.

Seu trabalho influenciou vários escritores e profissionais de autoajuda, porém a parte em que ele cita que são necessários no mínimo 21 dias foi, muitas vezes, reduzida para: leva-se 21 dias para formar um novo hábito.

Algo que pode se tornar perigoso, pois se muitas pessoas começam a dizer a mesma coisa, todo mundo começa a acreditar.

O problema é que Maxwell estava simplesmente observando o que acontecia ao seu redor, ele não havia feito uma pesquisa e, tampouco, estava fazendo uma declaração de fato. Além disso, ele se certificou de dizer que esse era o tempo mínimo necessário para se adaptar a uma nova mudança.

Então, qual é a verdadeira resposta? Quanto tempo realmente leva-se para formar um novo hábito? Existe alguma ciência para apoiar isso?

Phillippa Lally é pesquisadora de Psicologia da Saúde na University College London. Em um estudo publicado no European Journal of Social Psychology, Phillippa e sua equipe de pesquisadores decidiram descobrir quanto tempo realmente leva-se para formar um hábito.

O estudo examinou os hábitos de 96 pessoas durante um período de 12 semanas. Cada pessoa escolheu um novo hábito durante as 12 semanas e relatou todos os dias se eles fizeram ou não o comportamento e o quão automático o comportamento era.

Algumas pessoas escolheram hábitos simples, como “beber uma garrafa de água todos os dias”. Outras escolheram tarefas mais difíceis, como “correr 15 minutos antes do jantar”.

No final das 12 semanas, os pesquisadores analisaram os dados para determinar quanto tempo cada pessoa levou para iniciar um novo comportamento e fazê-lo automaticamente.

O resultado?

Em média, são necessários mais de dois meses para que um novo comportamento se torne automático! Para ser mais exato, 66 dias em média.

E este tempo pode variar muito, dependendo do comportamento da pessoa e das circunstâncias. No estudo de Phillippa, dentro do grupo de voluntários avaliados, foram necessários de 18 a 254 dias para que as pessoas formassem um novo hábito.

Em outras palavras, é importante que suas expectativas com relação ao novo comportamento que deseja implementar, sejam adequadas a um prazo que pode sim ser muito maior do que 21 dias.

Aprenda a abraçar sua caminhada

Antes de achar esse resultado desanimador, vamos falar sobre 2 razões pelas quais essa pesquisa é realmente inspiradora.

Primeiro, não há motivos para desistir apenas porque a trajetória pode ser mais longa do que esperava. Aceitar e reconhecer que este processo pode levar mais do que algumas semanas, pode sim te dar uma visão realista que te fortalecerá quando tudo parecer difícil.

Segundo, é que a pesquisa constatou que perder algum dia na realização do seu comportamento, não tem um impacto tão grande na formação do hábito, em outras palavras, você não precisa ser perfeito. Cometer um erro uma ou duas vezes, não tem impacto mensurável em seus hábitos a longo prazo.

É por isso que você deve tratar o fracasso como um cientista, se permitir cometer erros e desenvolver estratégias para voltar ao seu objetivo rapidamente.

Adotar prazos mais longos levará você a perceber que a criação de um novo hábito é um processo e não um evento. Você precisa abraçar o seu processo e se comprometer.

Entender isso desde o início, facilita o gerenciamento das suas expectativas e a preocupação em fazer melhorias e adaptações durante esta caminhada. Faça isso até que o novo hábito seja parte da sua vida.

A única maneira de se chegar ao dia 254, é começar pelo dia 01.

Então, concentre-se em fazer. A disciplina virá e aquele novo comportamento difícil no início, se tornará um hábito prazeroso de ser realizado.

E lembre-se, quando você tomou a decisão de iniciar a mudança que tanto deseja para sua vida, certamente é porque sentiu que ela te daria mais alegria, mais felicidade.

Para finalizar, trago um trecho do livro “A Arte da Felicidade”, escrito por  Dalai Lama e Howard Cutler (LAMA, CUTLER, 2000, p. 248)

“Essa convicção da necessidade de mudar por sua vez, desenvolve a determinação. Em seguida, a pessoa transforma a determinação em ação: a forte determinação de mudar possibilita que a pessoa faça um esforço sistemático para implementar as mudanças efetivas.  Esse fator final de esforço é de importância crítica.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s